FGV: tarifas de telecom sobem pouco para as famílias de baixa renda

08/01/2016

Os preços dos serviços de comunicação, incluindo telefonia celular e banda larga, foram os que menos subiram em 2015 segundo levantamento da Fundação Getúlio Vargas. A instituição mediu a inflação da baixa renda, pelo Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), e constatou que a alta média de preços foi de 11,52% no acumulado do ano, enquanto os serviços de comunicação subiram 1,11%. Índices como os de habitação e de transportes, que subiram 14,6% e 13,2%, respectivamente.

Segundo o Telebrasil, esse índice pode ser explicado pela queda de preço nos serviços ao usuário. “Na telefonia celular, desde 2008, o preço médio do minuto caiu 60%, fruto de uma acirrada competição, redução nas margens de lucro das empresas e aumento dos ganhos de eficiência das prestadoras”, afirma, em nota. A entidade representa as operadoras e concessionárias.

IBGE Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística revelados hoje, mostram resultado similar. No ano de 2015, a inflação geral (IPCA), não apenas entre o consumidor de baixa renda, ficou em 10,67%. O segmento de comunicações apresentou elevação de 2,11%, também abaixo das outras categorias. Um ano antes, em 2014, o setor apresentou deflação de preços, de -1,52%.

Fonte: Telesíntese

Localização FEBRATEL

foto-localizacao-telebrasil


Avenida Pasteur, 383, parte - Urca 
CEP: 22290-240 Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2541-4848  Fax:(21) 2542-4092

Fique Informado!

Cadastre-se para receber nossas novidades.

Visite o nosso canal do Youtube

botao youtube2





Recomende aos amigos!